top of page

Terras Altas aposta nas cabernets

Uvas cabernet sauvignon colhidas na Vinícola Terras Altas, Ribeirão Preto, São Paulo, Sudeste do Brasil
Cabernet sauvignon teve sua primeira colheita neste ano / Foto: Vinícola Terras Altas

Redação Brinde-SE

26/9/2022


Com sua primeira colheita de cabernet sauvignon em 2022 e o plantio de cabernet franc no início do mês de setembro, a Terras Altas, em Ribeirão Preto (SP), quer produzir cortes e varietais com essas castas ao longo dos próximos anos.


É o que revela ao Brinde-SE o diretor da vinícola, Ricardo Baldo. Segundo ele, embora ainda seja cedo para prever exatamente como as variedades serão aproveitadas, a primeira colheita da cabernet sauvignon está sendo avaliada e dá indícios de bom potencial.


“Aqui pra nossa região, ainda são vinhos inéditos. Então a gente não tem uma referência que permita prever tudo que se pode fazer. Mas, por enquanto, a cabernet sauvignon que a gente colheu está se mostrando muito bacana”, afirma.


Os planos da vinícola incluem uma combinação da cabernet sauvignon com a cabernet franc. Por isso, 10 mil pés da cab franc foram plantados semanas atrás, juntando-se a outras 10 mil parreiras da sauvignon.


“A cabernet franc produz excelentes vinhos, mas, até pouco tempo, era considerada uma 'prima pobre' da cabernet sauvignon. A casta teve uma espécie de resgate e aqui no Sudeste também estamos aproveitando essa variedade para os vinhos de inverno”, diz Baldo.


“Ela vem pra complementar a cabernet sauvignon. Os cortes tradicionais entre as duas ficam muito bons, com vinhos estruturados, aromas bem característicos. A cabernet franc acaba levando um pouco mais de elegância e delicadeza para a sauvignon. Apostamos muito na franc, porque é uma variedade que gosta do calor, de radiação solar e a gente acredita que tem um terroir propício para isso. Para ela, imaginamos um corte e um varietal. Mas tudo vai depender de como a uva vai se desenvolver”, completa.


Restaurante e winebar

Encerrada a colheita deste ano, a Terras Altas suspendeu a programação de visitas à vinícola por uma razão muito especial: a finalização das obras do restaurante e winebar, que deve ser aberto ao público até dezembro. O espaço vai permitir aos visitantes uma degustação agradável dos vinhos, com visão panorâmica da estrutura de vinificação de um lado, vinhedos de outro e a cidade de Ribeirão Preto no horizonte.

“Paramos (com a visitação) depois da vindima e agora esperamos retomar no fim do ano, com tudo pronto. A ideia é receber as pessoas aos fins de semana, para o tour e degustações”, prevê o diretor da vinícola.

Safra 2022

Ricardo Baldo conta ainda que a expectativa para a safra deste ano é enorme. O desenvolvimento pleno das 16 mil videiras de syrah plantadas em 2017 e as condições climáticas permitiram um resultado muito bom em termos de qualidade dos frutos.


“Foi uma safra fantástica. A gente está atingindo a maturidade dos nossos vinhedos syrah, os primeiros que plantamos. O clima ajudou demais pra maturação da uva na nossa região. Tudo convergiu para uma uva diferenciada e, com certeza, serão vinhos diferenciados. Estamos inclusive adquirindo mais barricas, pra poder colocar mais vinhos barricados, aproveitando a qualidade da safra”.


Recentemente, rótulos da Terras Altas receberam importantes premiações nacionais e internacionais. O destaque fica por conta das medalhas de bronze para o Entre Rios (syrah tinto) das safras de 2019 e 2020, obtidas no Decanter World Wine Awards, um dos principais concursos do mundo.

41 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Carrereth

Comments


Post: Blog2 Post
bottom of page